Você sabe qual a diferença entre concentração e atenção? Descubra!

Há uma grande diferença entre concentração e atenção no trabalho, porém muitas vezes os termos são ditos como sinônimos. Entender as suas peculiaridades é importante para traçar prioridades e desenvolver essas competências de modo eficaz nas equipes.

É muito comum gestores reclamarem da falta de atenção dos seus subordinados, especialmente em reuniões ou apresentações mais complexas. O que pode ser feito para mudar esse quadro e extrair um melhor desempenho de cada colaborador?

Pensando nisso, criamos um guia para você. Hoje, você vai entender de uma vez por todas a diferença entre concentração e atenção, além de conhecer algumas dicas sobre o assunto. Confira!

Diferença entre concentração e atenção

Segundo a psicologia, a atenção é o processo cognitivo de selecionar e focalizar um estímulo ao seu redor. Imagine um profissional da área contábil que, em meio a tantos estímulos — conversas, e-mails, ligações telefônicas — precisa manter a atenção nos demonstrativos financeiros.

De modo resumido, a atenção é estabelecer um foco, mesmo em meio a muitos estímulos. Ela pode ser dividida em duas principais: a atenção dividida — quando a pessoa tenta focar em duas ou mais coisas ao mesmo tempo, o que geralmente interfere na aprendizagem — e a atenção concentrada — quando se mantem o foco em um único “alvo”.

Por sua vez, a concentração se refere à capacidade de sustentar a atenção pelo prazo necessário. Imagine o mesmo profissional da área contábil, em que a concentração significa que ele vai manter a atenção no demonstrativo até que o trabalho seja concluído.

Fatores que influenciam na atenção do profissional

O ambiente de trabalho pode favorecer ou não a atenção. Em lugares onde há muita desordem, falta de alinhamento e de uma comunicação clara, é muito difícil que o profissional consiga se atentar a um único ponto por tempo suficiente para entregar ótimos resultados.

De um modo geral, há três fatores que influenciam na atenção:

  • fatores fisiológicos: fome, sede, sono, doença e assim por diante;

  • fatores motivacionais: desejo pessoal de alcançar determinado resultado;

  • concentração: depende do profissional, mas cabe à empresa criar o entorno ideal.

Muitas empresas tornam o processo de concentração algo impossível. Sempre que o profissional foca em uma tarefa é interrompido por outras que não são de sua responsabilidade ou, ainda, é chamado para reuniões e treinamentos sem fim — um grande equívoco.

Dicas para otimizar a concentração e atenção

Existem algumas práticas que podem ajudar a facilitar o processo de atenção e concentração dentro do estabelecimento. Uma das mais importante é eliminar ao máximo os ruídos internos, isto é, tudo aquilo que interfere na qualidade da comunicação.

Algumas empresas possuem um ambiente  ruidoso, ou melhor, com demasiado barulho. Isso dissipa o foco e faz com que os profissionais tenham um processo de concentração e aprendizagem muito mais demorado, se não inviável.

Outro ponto que pode ajudar bastante é definir uma lista de tarefas pela manhã que devem ser executadas ao longo do expediente de trabalho. Desse modo, por mais que a atenção seja perdida, fica fácil recuperá-la e entregar bons resultados.

Veja, agora você está por dentro do assunto. A verdade é que todo profissional precisa de atenção e concentração, seja para negociar com os clientes ou para criar um demonstrativo financeiro. Dessa maneira, os resultados aparecerão mais facilmente.

Gostou do conteúdo? Entende a diferença entre concentração e atenção? Aproveite para compartilhar nos comentários as suas dúvidas, sugestões ou experiências sobre o assunto!

Equipe Mapa

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Leia em primeira mão

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades em sua caixa de email. Não enviamos span.

Últimos Artigos