Como a unificação de onboarding e gamificação otimiza o treinamento de integração na empresa?4 minutos de leitura

Onboarding é um termo utilizado para se referir ao treinamento de integração que as empresas fazem para adaptar os novos colaboradores. Com ações estratégicas, é possível educar os profissionais recém-chegados em relação às políticas, culturas e objetivos da empresa.

Para que a integração seja eficaz, é preciso alcançar o propósito de fazer com que o colaborador se sinta parte do grupo. Nesse contexto, uma estratégia que tem se destacado é a gamificação — ferramenta de treinamento e desenvolvimento que utiliza jogos para motivar e engajar a equipe.

Continue a leitura deste post e entenda como os mecanismos da gamificação beneficiam as estratégias de RH!

Quais os benefícios da gamificação em treinamentos de integração?

A gamificação é vantajosa tanto para a empresa quanto para os próprios colaboradores, uma vez que os jogos tendem a melhorar o clima organizacional. Além disso, o treinamento pode incluir premiações, o que aumenta a motivação dos participantes. Veja os principais benefícios dessa estratégia!

Engajar os colaboradores

O primeiro propósito alcançado com a gamificação nos treinamentos de integração é o engajamento dos novos colaboradores. Por meio de determinadas ações — jogos, técnicas de storytelling, missões, conquistas, ranking de desempenho, recompensas etc. —, é mais fácil atrair o interesse dos participantes e inseri-los no contexto desejado.

Otimizar o aprendizado sobre a empresa

Transmitir ensinamento de forma didática não é uma prática que perdeu valor no ambiente corporativo. Contudo, temos que concordar que existe muita informação para o colaborador memorizar logo no dia da integração.

Basta avaliar as duas situações para identificar qual método é mais efetivo: exibir slides, durante horas, sobre os processos da empresa, sua história, objetivos, questões de ética e afins ou propor a absorção dessas informações de modo mais dinâmico, com um quiz, por exemplo?

Avaliar as habilidades dos participantes

Com a gamificação, os profissionais de RH também conseguem observar com mais clareza a postura dos colaboradores e identificar as habilidades que se destacam, como: facilidade para falar em público; capacidade de argumentação; liderança; trabalho em equipe; proatividade; entre outras competências comportamentais.

Como aplicar a gamificação nos processos de integração?

Para unificar o onboarding e as estratégias de gamificação, é preciso seguir algumas etapas. Veja os passos principais dessa implementação!

Definir os objetivos da gamificação

A primeira ação, claro, é a definição dos objetivos, ou seja, o que a empresa espera alcançar com a gamificação: engajar e motivar os participantes? Criar um clima organizacional favorável? Alinhar a postura dos colaboradores à cultura da organização? Em resumo, os profissionais responsáveis pelo treinamento de integração devem avaliar com precisão os resultados pretendidos.

Ter um conhecimento prévio a respeito dos colaboradores

Ainda que o onboarding gamificado tenha como público-alvo os colaboradores recém-contratados, é possível fazer uma análise prévia de seus perfis. As observações feitas durante as entrevistas de admissão, assim como as informações técnicas que constam no currículo podem servir como base.

Importante lembrar que muitos colaboradores atuam no suporte aos processos operacionais, mas não fazem parte do “chão de fábrica”. Portanto, a partir de um breve estudo sobre o perfil de cada um, os analistas de treinamento desenvolvem jogos compatíveis com o padrão dos participantes — considerando assuntos de interesse e níveis de dificuldade.

Escolher a estratégia que será utilizada

Depois de conhecer um pouco sobre a equipe que participará da gamificação, é hora de definir qual estratégia será mais bem aplicável ao grupo — quiz, videogame, jogos de forca etc. Juntamente com o tipo dos jogos, é importante estabelecer as regras de participação, o sistema de pontuação e o método de ranqueamento e premiação.

Por fim, os profissionais que conduzem o treinamento de integração devem ficar atentos ao desempenho de cada colaborador. Dessa forma, é possível observar o engajamento e a motivação, em nível individual e grupal, e concluir se os resultados desejados foram alcançados ou se é preciso reformular as estratégias.

Achou este conteúdo útil? Para receber informações sobre temas similares, basta assinar nossa newsletter e receber as atualizações diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo